Sibilla Aleramo


La Favola; Gli Occhi Eroici; 9 Maggio 1909; 21 Agosto 1909; Lettera non Data ma Attribuibile al 1910

Sibilla Aleramo

Sibilla Aleramo (1876 – 1960), pseudônimo de Martina Felicina Faccio, foi uma escritora e feminista italiana. A obra que a tornou célebre é o romance autobiográfico Una Donna (1906), em que a autora conta a traumática experiência do estupro e do casamento que na Itália é chamado de "reparador". Quando foi companheira do editor e escritor Giovanni Cena se aproximou do socialismo e escreveu vários artigos a esse respeito. Além do romance mencionado acima, a obra de Sibilla Aleramo abarca ficção (Il Passaggio, 1919; Amo, Dunque Sono, 1927; Il Frustino, 1932), poesia (Momenti, 1921; Poesie, 1929; Sì Alla Terra, 1935; coletânea definitiva, Selva d’amore, 1947, entre outras), e prosa lírica (Andando e Stando, 1921; Gioie d'occasione, 1930; Orsa Minore, 1938: raccolte poi in Gioie d'occasione e outras, 1954; Dal Mio Diario, 1945).
 
 
 

Sobre os textos

O texto de partida é composto por dois capítulos do romance Il Passaggio (1919), intitulados La Favola e Gli Occhi Eroici, e três cartas de Lettere d'amore a Lina: 1908-9 (1981). As duas mulheres se conheceram durante os encontros literários da biblioteca onde Lina trabalhava e na época Sibilla era companheira de Giovanni Cena. Os trechos apresentados bem representam o começo e o desenvolvimento da breve relação entre as duas mulheres, além da evolução do sentir da autora enquanto mulher e enquanto sujeito de pulsão erótica.
 
 
 

Sobre a tradutora

Elena Manzato é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Línguas e Literaturas europeia, americanas e pós-coloniais pela Università Ca’ Foscari Venezia (2018) com dupla titulação em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (2018). Graduada em Comunicação Interlinguística Aplicada pela Scuola Superiore di Lingue Moderne per Traduttori e Interpreti da Università degli Studi di Trieste (2013). Área de interesse e atuação: Estudos da Tradução, com ênfase nas Teorias da Reescrita e dos Polissistemas e nos Estudos Feministas da Tradução.

Trecho da tradução

Tenho eu temor? Não o tive naquele momento.
Invoco, que elas me queiram bem, as mulheres doces e puras que tenho na terra: o rosto róseo aflito da minha irmã, nascida por última da minha mãe e do meu pai, que tem agora meninas iguais àquela que ela era, àquela que ainda revejo e afago em sonhos bons, cara ternura: o rosto de uma amiga jovenzinha, que quando me aparece faz com que harmonia retorne, até nas horas mais ásperas, tanto é imagem e essência de musa, tanto eu creio que ela entenda e eleve a vida: e outros, outros rostos ainda, atentos e fiéis: mulheres, mistérios que não tento dissipar as mais santas assim como as mais encantadoras…. (Texto completo para download, 807KB)

Como citar esta tradução

ALERAMO, Sibilla. La Favola; Gli Occhi Eroici; 9 Maggio 1909; 21 Agosto 1909; Lettera non Data ma Attribuibile al 1910. Tradução, prefácio e notas: Elena Manzato. Acácia – revista de tradução, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 523-569, 2018. ISSN 2592-3915. Disponível em: <http://www.revista-acacia.com.br/2018/02/sibilla-aleramo>.