Flora Tristan


Les Femmes Anglaises

Flora Tristan

Flora Tristan (1803-1844) foi uma escritora, militante socialista e feminista francesa de origem peruana. Com 17 anos casa-se com seu patrão, que logo demonstra ser um homem violento. Ela acaba por fugir, grávida, já que o divórcio não era legalizado na época. Anos depois ele tenta matá-la e acaba preso. Apesar do casamento traumático, Tristan torna-se uma escritora conhecida, importante nos círculos socialistas que surgiam na época e sempre defensora dos direitos das mulheres. Entre suas obras mais conhecidas estão Pérégrinations d’une Pária, sobre sua viagem ao Peru, e L’union Ouvrière, sobre a classe trabalhadora.
 
 
 

Sobre o texto

A obra Promenades dans Londres, escrita em 1840, reúne comentários de Flora Tristan sobre os mais diversos aspectos da cidade pulsante que ela visitara outras vezes: do clima à política, das mulheres aristocráticas às prostitutas, nada escapa de seu olhar atento. Sua escrita rica em observações e detalhes permite uma deliciosa viagem no tempo à Inglaterra em pleno desenvolvimento industrial.
No capítulo Les femmes anglaises, Tristan apresenta-nos o estilo de vida extremamente opressor da aristocracia inglesa e traz um apanhado de diversas escritoras proeminentes da época. Aqui, omitiremos da tradução as longas citações que ela traz do livro de Mary Wollstonecraft para evitar a tradução indireta. A tradução integral do livro de Wollstonecraft pode ser encontrada facilmente em edição recente.
 
 
 

Sobre a tradutora

Fabiana Zogbi Lontra da Conceição é mestranda na linha da pesquisa Lexicografia, Terminologia e Tradução: Relações Textuais do programa de pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Interessada na divulgação de autoras mulheres, já traduziu outros excertos da obra Promenades dans Londres, de Flora Tristan, nesta mesma revista (v. 1, n. 2, 2018). E-mail: fablontra@gmail.com.

Trecho da tradução

As decepções sentidas por essas senhoritas não existiriam se tivessem lhes ensinado o gosto pelo prazer intelectual, o desprezo pelas satisfações da vaidade e o hábito de viver com pouco. Se tivessem lhes explicado o Evangelho, elas saberiam que as grandes riquezas quase sempre corrompem o coração, e jamais desejariam ser amadas por jovens que passam a vida em casas de jogo e embriagando-se com prostitutas. Essas damas, depois de esperar a carruagem de quatro cavalos em vão, já com 28 ou trinta anos, casam-se com pequenos negociantes, meros empregados ou algo semelhante. Muitas também permanecem donzelas. (Texto completo para download, 616KB)

Como citar esta tradução

TRISTAN, Flora. Les Femmes Anglaises. Tradução, prefácio e notas: Fabiana Zogbi Lontra da Conceição. Acácia - revista de tradução, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 73-95, 2019. ISSN 2595-3915. Disponível em: <http://www.revista-acacia.com.br/2019/02/flora-tristan>.